A Rota das Abolições da Escravidão
e dos Direitos Humanos
 
  O desejo da ruta das abolicoes da escravidao para el futuro

Os habitantes de Champagney recusavam a idéia da condição de escravo e não viam a cor do homem negro. No negro só reconheciam um ser humano, um semelhante. Igual a eles.

Gregoire, esse fervente católico quem fará a apologia da igualdade dos Direitos, nos lembrou
 os deveres dos cidadaões.

Com Toussaint Louverture, apareceu com toda sua complexidade e modernidade
a problemática da sociedade multicultural.

Em Mana Anne Marie Javouhey organiza la primeira sociedade de escravos libertados.

Por fim, Schoelcher nos ensinou do que a verdadeira emancipação, além da mera retirada das correntes e cadeias, passa pela instrução e a integração econômica.


Todos, paisanos, negro escravo, homem da igreja ou alto burguês, ateu e maçônico,
se reúniram pelo COMBATE PELA DIGNIDADE DO HOMEM.
DE TODOS OS HOMENS.

Do século XV ao século XIX, o tráfico negreiro e a escravidão, primeira forma de mundialização da história, esmagaram mais de 20 milhões de africanos. Este episódio, pelo custo humano, a ideologia que o justificou e pelo tamanho das destruições econômicas, sociais e culturais provocadas, é qualificado hoje como crime contra a humanidade.

Os anonimos de Champagney, o catolico Grégoire, o revoltado Toussaint Louverture, a obstinada irma Javouhey e o senador repúblicano Schoelcher transmitiram a luz da justicia e da liberdade. Nos mostraram o caminho. Esse caminho continua hoje nessa “rota das abolições da escravidão e dos Direitos do Homem” que, da homenagem a suas memórias, nos incita a transmitir sua mensagens.

Na madrugada nascente do XXI século, a Organização Internacional do Trabalho, nos ensina que hoje em dia HÁ MAIS DE 250 MILHÕES DE ESCRAVOS NO MUNDO, ou seja, 15 vezes mais do que foi transportado por todos os barcos negreiros durante mais de quatro séculos.

Mais que nunca, o grito de revolta dos justos de Champagney, de Gregoire, de Toussaint Louverture e de Schoelcher ecoa na atualidade e até nós.

Escravidão moderna

Esta  "ruta das aboliciones de la esclavitud y de los Derechos Humanos" nos incita a continuar sus combates. 

Aqui es el sentido y la dirección de essa ruta. Sobre la cúal les convidamos.

 

Copyright © 2007 Route des Abolitions tous droits réservés
Réalisation Torop.Net - Site mis à jour avec wsb.sw4torop.net
Plan du site
Avec le soutien financier de :