A Rota das Abolições da Escravidão
e dos Direitos Humanos
 
  a "rota do escravo" da unesco

" Primeiro sistema de mundialização da história, o comércio negreiro transatlântico e a escravidão, constituem a matéria invisível das relações entre a Europa, a  África, as Américas e as Antilhas. Este episódio dramático da história da humanidade chama, devido à seu caráter humano (várias dezenas de milhões de vítimas), por causa da ideologia que o justificou (a construção intelectual do desprezo do africano e do racismo para justificar a venda de seres humanos como bens conforme com à definição do Código negro francês) e visto o tamanho da desestruturação econômica, social e cultural do continente africano, a atenção para se interrogar sobre o sigilo histórico que o rodeou durante muito tempo " (Doudou DIENE).

Sob a proposta do Haiti e países da África, iniciadores do projeto, a Conferência general da UNESCO aprovou em 1993 o lançamento do projeto " a rota do escravo " que foi feito oficialmente em 1994 em Ouidah no Benin.

A rosta do escravo

A ação central da " rota do escravo " é o programa científico sobre o comércio negreiro (transatlântico, no Mediterrâneo e no Oceano Índico) e a escravidão. Esse programa foi lançado através de setores temáticos de pesquisa em três direções :
  • O programa de educação e ensino :

Aquele programa estruturado mediante uma " Task Force " internacional é sustentado por programas nacionais e resultados de pesquisas científicas.
O setor da educação da UNESCO através da Unidade de coordenação da rede das Escolas associadas, é responsável pelo programa, em relação com a divisão do diálogo inter-cultural.

  • O programa sobre a promoção das culturas vivas e das manifestações artísticas e espirituais :

Trata-se de promover as atividades culturais, artísticas e as manifestações espirituais nascidas nas interações do comércio negreiro nas Américas e no Caribe e as tradições africanas, ou seja, o patrimônio comum e material dos povos africanos, ameríndios e europeus que o comércio negreiro que levou a existência de sociedades plurais.

Cartel da rede das escolas asociadas da Unesco

  • O programa sobre a memória da escravidão e a diáspora negra :

O comércio negreiro constitui pela sua ignorância, uma das formas mais radicais de negação histórica. « A rota do escravo » iniciou-se , com a intenção de manter viva a memória do comércio negreiro em dois projetos : o programa de turismo cultural sobre a " rota do escravo " e a criação de museus da escravidão.

O projeto da “rota das aboliçoes da escravidao” participa plenamente dos objectivos liderados pela “rota do escravo” da Unesco, constituindo uma prolongaçao dele:

-
no ponto de vista historico, pois o tema das aboliçoes da escravidao desenvolvido pelo projeto “da rota das aboliçoes” completa cronologicamente o proceso do trafico negreiro e da escravidao valorizado pelo projeto da Unesco.
- no ponto de vista geografico, porque, ubicado no coraçao da Europa, permete para aquele continente ficar daqui para frente desempenhar um papel ativo no dever de memoria, apôs de ter sido ausente e atrasado nesse assunto.


Informaçoes sobre o projeto da " rota do escravo " : http://portal.unesco.org/culture

 

Copyright © 2007 Route des Abolitions tous droits réservés
Réalisation Torop.Net - Site mis à jour avec wsb.sw4torop.net
Plan du site
Avec le soutien financier de :